terça-feira, 23 de junho de 2009

Acupuntura, Woody Allen e algo mais...


O que te afasta das pessoas?
E o que te aproxima delas?
Afinidades, diferenças, ideologias, carência, curiosidade, solidariedade, conveniência, solidão?
Esta vida estranha que vivemos... nem dá pra procurar motivos.
Às vezes a gente simplesmente esbarra em outra vida e pronto.
A partir daí começa uma longa história, ou apenas mais um ombro existencial no seu caminho que te faz pedir desculpas.
Atualmente vivo em uma grande cidade horrível, tenho sementes na orelha para tentar parar de fumar e juro que não vou me embriagar todo final de semana. Também juro que não vou mais cometer o erro imbecil de te ligar e passar por outra situação indigesta.
O que me aproximou de você?
Pra que ligar?
Eu sei que você não está aqui mesmo.
Eu disse que seria assim.
O que te aproximou de mim?
Sinto-me personagem de um filme do Woody Allen e isso é bom.
A coisa toda fica ruim quando eu me sinto personagem de um filme do Kubrick.
Talvez essas sementes me ajudem a parar de fumar e acabem com a minha gastrite e coloquem um fim nesta minha maldita ansiedade.
Mas, não há acupuntura nem nada neste mundo que me afaste destes ombros nos quais esbarro de vez enquando...
Nem ciência que me ensine a não te ligar e sentir meu estômago lutar contra todas as sementes do mundo quando não é a sua voz que eu ouço e me dou conta de que você não está aqui mesmo.
O que me afasta de você?
E eu aqui, tentando estabelecer outras prioridades e nunca mais abrir mão do meu precioso sono para ouvir a tua voz.
E eu aqui...
Tentando parar de fumar.
Mas, o cigarro, caro Caio F., é a única coisa que eu quero ter nas mãos agora.
Amanhã tentaremos com agulhas.
O que te afasta de mim?

5 comentários:

Monique Frebell disse...

Pode ser tanta coisa... isso de afastar e atrair vai dos pólos de cada um. é difícil definir o que nos mantém separados e o que nos une a alguém.

BJus!

Dani Santos disse...

tantas indagações... e tuas palavras soam como foices a cortar o vazio... indigestas, porque verdadeiras, nesse mundo de bailes e máscaras, onde tudo parece às vezes um filme de sátira.

As sementes por vezes brotam primaveras...

dias de sol...

Poeta Mauro Rocha disse...

Questionamentos são sempre motivadores.

Tenha uma ótimo fim-de-semana.

Lo. disse...

O que une e o que afasta pessoas é uma coisa extremamente complicada de saber né?! Há mais coisas entre isso do que sonha a nossa vã filosofia, rs.

E Caio F. Abreu é maravilhoso. Sempre!

Toni disse...

Sabe, esses seus escritos me lembraram um texto da Clarice Lispector - que eu não vou lembrar o nome, logicamente.
Por isso vou fazer delas as minhas palavras: o que vale são as perguntas, e vc já sabe todas!
As respostas, estas não interessam. Porque? Por que elas mudam, sempre mudam.
Já as perguntas são as mesmas, por isso é com elas que temos que nos preocupar!
Viagem, né?
Pois é, mas acredito. Rs.

Engraçado é que eu tô hoje mesmo escrevendo sobre isso, mas ainda não tá pronto, sabe quando falta alguma coisa?
Tá vendo, outra pergunta que não tem resposta! Rs

Beijão!